flower3.gif (3003 bytes)

DEPENDÊNCIA DO FLUXO DO REIKI

O fluir do Reiki parece variar de acordo com o grau de desarmonia do paciente. Por exemplo, em pacientes seriamente doentes ou muito perturbados emocionalmente, o Reiki flui mais fortemente. O Reiki flui portanto segundo o pretendido e de acordo com o grau de desarmonia do sistema alvo. Assim, o fluxo é totalmente independente das expectativas do terapeuta, funcionando de acordo com as suas leis próprias.

Alguns praticantes de Reiki observaram que o Reiki, aparentemente, deixa de fluir após um período de tempo em determinada posição do corpo. Volta então a fluir quando as mãos são posicionadas noutra posição. O facto parece dizer que, logo que uma área é harmonizada, deve-se passar para outra área.

Como o Reiki viaja pelo corpo para onde é necessário, isto parece ser uma contradição. Um facto observado é que os praticantes de Reiki treinados por Mestres de Reiki que não falam acerca deste fenómeno, não o experienciam. As suas mãos apenas continuam a fluir. Parece que as expectativas ou consciência do praticante de Reiki causam também (aparentemente) a sua paragem de sentir a sensação do Reiki.

Experiências têm mostrado que quando esses praticantes dizem que sentem o Reiki a "desligar" a pessoa que está a ser tratada, ainda continua a sentir o fluxo fortemente.

Na nossa opinião, parece-nos que o fluir do Reiki depende da forma como o terapeuta consegue interiorizar a nossa máxima, "deixar o seu Ego dormir e o Reiki fluir" e também, da abertura consciente e inconsciente do receptor à sua própria cura e desenvolvimento humano.


© Copyright, Sandra Ramos e Jorge A. Ramos